sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Passarinho


Moça, meu coração é ninho.
Você passarinho, pode pousar.
Meu corpo, árvore em campo aberto;
não te obriga, nem te amarra.
Não tenhas medo de olhar mais de perto.
Se olhar mais a fundo, vai entender.
O que vês por fora é pura ilusão.
Se chegar um pouco mais perto poderás ver.
Se somos todos "um todo",
Você é pedacinho de mim.
Eu... pedacinho de você!
Somos todos partes inteiras um do outro.
Que tal pagar para ver?
Voa um pouco mais alto, passarinho. Você vai me entender!
Posso ser a poesia que te completa
E você... A inspiração para o meu escrever.
Só lembrando, passarinho:
Que meu peito é ninho, eu não vou te prender.
Se meu corpo é árvore em campo aberto, pode voar quando quiser.
Mas se sentir vontade de voltar, será sempre um prazer te receber!
Voa pássaro, voa... Atrás de um novo canto.
Leva e trás o seu encanto a onde não posso voar.
Voa pássaro, voa... Vá conhecer o horizonte de outros campos,
Mas volte à este peito-ninho, sempre pronto, a te esperar!




Por: Aline Patricia

Nenhum comentário:

Postar um comentário