quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Terra e fogo - Poesia

Se a poesia não existisse, certamente eu a inventaria.

Não saberia descrever meus sonhos em notas rápidas e vagas,

Porque meu peito é tempestade e calmaria.
E por falar em sonhos...
Ah, o sonho!
Uma visita inesperada,
Com cenas doces e apimentadas,
Me tirou da cama cedo e cravou em minha face um semblante risonho.
O peito amanheceu estufado,
Implorando explodir poesia,
Enquanto a alma aguarda o momento da tua chegada,
Meu avesso, vento forte, teu sorriso,  calmaria.
Tu és terra, eu sou fogo...
Estou tentando entender.
Tu te encontras fácil, fácil...
E eu vivo a me perder.
Tu me aterras e eu te aqueço,
Temos muito a aprender.
Na poesia é assim,
Fica fácil explicar.
Cria dúvidas nos leitores,
E o peito poético a desabafar.
Vou contando as horas do meu dia,
Esperando à noite, em outro sonho te encontrar!

por: Aline Patricia








Nenhum comentário:

Postar um comentário