terça-feira, 24 de março de 2015

Em outra dimensão

Além de todo esse fogo que aflora à derme,
Existe uma ternura inquietante, um carinho inexplicável;
Que me trava a boca num riso estendido 
E cócegas no mais profundo íntimo do peito,
Como se fosse, ou talvez seja... Na alma.
Eu fico aqui a olhar-te...
E às vezes é só isso que eu quero.
Me perco no silêncio barulhento das faculdades do meu corpo,
Enquanto saboreio essa brisa entorpecente,
Que espontaneamente, toma conta do meu ser.
É por isso que me faço parecer distante.
Pois, na verdade, estou me encontrando e me perdendo
No êxtase deste passeio que,
Por instantes, parecem me levar para outra dimensão.
Mas eu estou aqui.
Bem aqui!
Em silêncio... Olhando pra você!




Por instantes, diga-se de passagem, longos instantes;
Observo tua imagem grafada na tela da tecnologia que carrego nas mãos.
E nos demais instantes,
Onde a realidade se faz notar nas responsabilidades do dia a dia,
Contemplo seu sorriso grafado em minha memória.
Imagens que passam incessantemente, como um slide em meus pensamentos.
E o meu sorriso?
Permanece cravado em minha face,
Como se já fizesse parte do lugar que se instalou! 


Por: Aline Patricia