domingo, 24 de março de 2013

Hoje e sempre, minha mais doce casualidade!



Quando o tudo ainda parecia nada,
Quando as noites se estendiam em eternas madrugadas,
Meus olhos se perdiam em coisas sem sentido.
Em tom suave, murmurastes em meu ouvido.

Casualidade em noite quente,                                          
Bebida gelada mexe com a emoção da gente.
Olho no olho em momento certeiro,
Entendi o seu recado, entreguei-me por inteiro.

Bendita casualidade que me levou àquele lugar,
O coração bate novamente, volto a respirar.
O corpo todo se aquece, aguçando a imaginação,
Quando de “vida” me chamastes, fui pra outra dimensão.

Teus beijos, teu jeito, tua boca... Tudo enfim,
Em meu peito tatuei a sua imagem, teu cheiro ainda esta em mim.
Dos sabores que provei, o teu é raridade,
Para sempre lembrarei; minha mais doce casualidade!

Por: Aline Patricia