terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Despeito

Despeito poderia ser escrito assim: 
DIZ-PEITO.

Diz o peito desaforado,
Coisas que o mantém engasgado.
Chora dores de outros amores,
Fingindo dissimuladamente ter a felicidade ao lado.
Desfere palavras duras e abusadas,
Ergue o corpo esguio,
Disfarçando a alma pesada!
Estampa no rosto um sorriso,
E o mantém com profunda devoção,
Mas os olhos opacos se escondem,
Lentes escuras, sua salvação!

Diz o peito apertado,
Coisas que deveria deixar de lado.
Mas a dor que não permite esquecer,
Empenha-se,
Procurando o melhor meio para ofender.
Então o outro sorri,
É aí que a coisa piora.
As flechas atingem o alvo errado,
O alvo desejado não vê, ignora!
Diz o peito sem respeito: _Maldito poeta!
Sempre sorri depois que chora.


Por: Aline Patricia

Um comentário: