sábado, 24 de novembro de 2012

Na contramão


A vida que me leva pra longe,
Longe de tudo o que já se viveu.
A vida que me traz ao presente,
Tudo o que o passado esqueceu.
A vida que passa faceira,
Quando menos se espera, lá vem outra rasteira.
E traz para perto tudo o que de longe se via,
Aquilo que não se acreditava,
Inevitavelmente existia.
Na tortura dos ventos que sopram meu cabelo,
Aumento o som do carro em minha fuga... Desespero!
Vou correndo até sair de mim,
Buscando algo que não seja óbvio,                         
E confortável; enfim.
Corro sem olhar para traz,
Em velocidade de filmes de ação.
Olha o que o medo me faz,
Entrei na contramão!
A vida que me leva pra longe,
Longe de tudo o que já se viveu,
A vida que me coloca de frente,
Frente a tudo àquilo que é meu.
Correr de nada adiantou,
Na contramão ficou difícil evitar.
A colisão de frente que a vida causou,
Ativou novamente a tecla: Amar!

                                                        Por: Aline Patricia

Nenhum comentário:

Postar um comentário