terça-feira, 14 de agosto de 2012

E assim, o inverno se faz quente



Chuva gostosa!
A grama há pouco cortada perfuma minha manhã.
O cheiro fascinante do inverno começa se fazer notado; assim como a necessidade de adaptação a um novo ciclo.
O peito apertado faz-me entender que esta espremendo para fora tudo que não será necessário para a nova estação.
Por hora, apenas uma xícara de café aquece o corpo.
Logo menos, pós um passeio pelas águas que caem do céu para lavar a alma, um banho quente de chuveiro, uma pausa... Outro café e logo mais;
Mais um banho de chuva para encerrar a jornada.
Tudo isso com muita fé e poesia naquilo que se tem para acreditar.                        
 Pois é assim que deve ser!
A fria estação vem para aquecer os sentimentos.
Os desejos... Os anseios...
Os sonhos que perderam a arte de sonhar.
Os sonhos que em preto e branco insistiram permanecer.
O outono já se foi; e foi sem colorir.
Deixando a responsabilidade à estação cinzenta.
A chuva fria que cai, leva toda poeira do corpo, da alma, do intelecto...
O cheiro de terra molhada aguça as memórias olfativas, revirando coisas e coisas, lembranças e mais lembranças; enquanto anuncia a chegada dos ventos que sopram gelados o corpo já cansado de esperar e nada ver.
Chuva gostosa...
Embora caia fria, no meu corpo irradia, o desejo de outro corpo para me aquecer!
E assim, o inverno se faz quente.
Une corpos, sonhos e mentes, mesmo que com objetivos diferentes,
Esperam juntos, a estação que faz florescer!

Por : Aline Patricia