domingo, 1 de julho de 2012

Quando havia amor...

 
Quando havia amor, era bem melhor!                       
De fato, muito melhor!

Tinha gosto,
Energia...
Música e poesia.
Tudo era melhor!                                                    

Tinha cor,
Coragem...
Cenário e paisagem.
E de fato, era tudo muito melhor!

Tinha luz,
Magia...
Audácia e ousadia.
Indiscutivelmente melhor!

Tinha sonhos,
Realidades...
Mentiras e verdades.
E, contudo, era muito melhor!

Tinha abraços e beijos;
Corpo no corpo;
Desejos...
Carinho e amor.

Tinha cumplicidade e metas;
Duas metades quase que completas;
Na cama...
Prazer e calor.

Agora o corpo parece sem vida;
Parecendo estar enfermo,
E a face entristecida.

Nada parece ter sentido,
As coisas se tornaram automáticas
E a única sensação que se tem, é a: de dever cumprido.

Até quando durará esse naufrágio?
Sem amor o poeta não se anima.
Pouco a pouco perde a graça
Como poesia sem rima.

É frio aqui, sem amor e sem paixão.
O peito fica vazio,
E a vida perde a emoção.

Das coisas que provei,
As lições trago de cor.
Entre tantas, digo com certeza:
_Quando havia amor, era bem melhor!


Por: Aline Patricia

4 comentários:

  1. Minha amiga linda...
    Correndo o risco de parecer redundante, mais uma vez tenho que dizer: que maravilhosa poesia!
    E mais uma vez: coincidência com a minha agonia.
    Meu blog anda abandonado, e eu sem inspiração. Acredito que vc tenha descrito neste texto uma das razões disso. "Sem amor o poeta não se anima". Ando racional e automática demais...
    Amei de paixão!
    Beijos e mais beijos com saudades, e parabéns mais uma vez!

    ResponderExcluir
  2. Aline? Você é incrivél! Meu blog está abandonado ".. Sem amor o poeta não se anima.." precisamos amar ou até mesmo sofrer por amor isso traz inspiração e de qualquer forma a dor nos faz bem ..

    ResponderExcluir
  3. Minha querida amiga, Liah... Já falei da alegria que sinto toda vez que te vejo por aqui? rsrsrs, claro que sim, não é?
    E mais uma vez experimentando dos mesmos motivos.
    Mas sempre há uma fagulha de amor escondida no mais íntimo dos nossos emaranhados de sentimentos, esperando por uma boa dose de combustível.
    Obrigada por todo carinho de sempre, minha amiga!
    Bjok's transbordando de saudades!

    ResponderExcluir
  4. Keila, minha linda ... Saudades de ver vc por aqui!
    Que bom que voltou!
    E a inspiração as vezes surge nos momentos menos esperados.
    Bora olhar lá naquele cantinho bem escondidinho, no íntimo ser, porque estou com saudades das suas obras.
    Bjs repletos de carinhos, minha pequena notável!

    ResponderExcluir