quarta-feira, 25 de julho de 2012

Barco de papel



Uma mistura de dois elementos: Ar e água. Simbolizando a liberdade das escolhas e a importância de cada ser que se apresenta como parte integrante da nossa história. E assim apresento essa mistura de música e poesia. 
Inspirada em fatos decorrentes na vida " do um amigo de um amigo mEU".

...

Vejo que a vida nos desencontrou,
Arranjos, rimas e acordes...
"Não se encaixou!"  (*)
Prezo a uma bacia,
Barco de papel,
Restrito, sem horizonte,
Distante do céu!

Às vezes um ensina ao outro
Que existem asas pra voar.
Vento forte ou tempestade,
Você decide onde quer chegar!

Vejo que sua asa longe te levou,
Alçando novos vôos,
Nunca mais voltou!                                     
Solto mar à dentro,
Barco de papel,
Seguindo o horizonte,
Vai de encontro ao céu!

Às vezes um ensina ao outro
Que existem asas pra voar.
Vento forte ou tempestade,
Você decide onde quer chegar!

Onde vai chegar?


Por: Aline Patricia 

Ps: (*) Um pequeno abuso da licença poética. Uma ferramenta que possibilita ao escritor a arte de brincar com as palavras. Transcendendo os limites das regras ortográficas de forma saudável e ao mesmo tempo, ousada!

Um comentário:

  1. Eu chorei. E não estou usando metáfora ou figuração. Eu chorei de verdade. Minha alma deve estar nublada agora. Chorei quando me lembrei daquele que não voltou. Ou daqueles que não voltaram.
    Amei ver tanto sentimento que não é meu, mas poderia, descritos tão claramente aqui, lindona!!!
    Obrigada por escrever!

    ResponderExcluir