sábado, 23 de abril de 2011

Que o único medo que nos tome, seja o medo de não amar.

Na redoma da alma, sentimentos trancados
pelo medo exagerado,
no entendimento defasado
de que amar é sofrer.
Escondem-se nas sombras do egoísmo,                       
os sentimentos contidos
que tememos conhecer.
"Tenho medo de amar",
"Tenho medo de querer".
Prefiro manter-me longe,
é o medo de "perder".
Mas do ódio não me escondo.
Exibo feito troféu.
Sentimento que repele,
tão amargo quanto o fel.
Os valores invertidos
faz com que continuem contidos,
tudo àquilo que deveria florescer.
...

"Não vejo filmes de romances,
esses mexem com a emoção.
Prefiro manter-me firme, consciente
Vendo filmes de ação".
"Abraçar um velho amigo,
esta fora de cogitação.
Se faz tempo que não o vejo,
no máximo...um aperto de mão!"

...

O amor torna-nos fortes e sábios. Faz resistir às noites frias.
Permite-nos: acreditar mais... confiar mais...; alcançar aquilo que parece ser impossível.
O amor nos permite ver no outro, tudo aquilo que os olhos não conseguem enxergar.
Transforma vidas, e dá vida ao que se perde na dor.
O amor não é meramente tema de livros de romance.
Ele é o combustível da alma. É o que refrigera e acalma,
quando a consciência já cansada desiste de acreditar.
Faz bater mais forte a bomba compressora que irriga o velho corpo.
Derrama involuntariamente o líquido salgado que se expele pelo canto dos olhos;
devolve à face já desacreditada um lindo sorriso e, entre incontáveis coisas,
faz nobre a mais miserável das criaturas.
Sejamos nós tomados pela sabedoria adjacente do amor.
Que exploda em nosso peito a coragem de deixá-lo nos tomar.
Que o abraço seja mais abraço. Que o carinho seja mais carinho.
Que o beijo seja mais beijo. E que o único medo que nos tome;
seja o medo de não amar.

by:  A.P.

Distância

Azul e cinza,
dias sem cor.
Saudade e tristeza,
no peito só dor.
Respostas se escondem.
O nome?
AMOR.
Deveria ser bom,
o mais perfeito sabor.
Mas a distância insiste
em transformar tudo em dor.        
Os ventos que sopram,
nos levam cada vez mais distantes.
Da tua face a doce lembrança,
minha riqueza, meu diamante.
Mas a vida é assim.
No velho livro esta escrito.
Jóias raras são para os nobres,
não para poetas em conflito.
A saudade derramarei em meu tinteiro.
A tinta forte diluirei com minhas lágrimas.
E no desejo da tua presença,
vou "farturando" meu livro de páginas.
Das lembranças eu bem cuidarei.
Estarão "redomadas" em meu coração.
E o que eu não conseguir transformar em verso,
em melodias te faço canção.

E mesmo que os ventos nos deixem distantes,
meus acordes irão te alcançar.
Minha jóia rara, meu diamante,
passarei meus dias sempre a te lembrar.

by: A.P.

...no teatro da vida... _IMPROVISEMOS!

Às vezes ganhamos achando que estamos perdendo...
Às vezes perdemos achando que estamos ganhando...          
Às vezes esquecemos o texto no teatro da vida.
A verdade é que a vida é um grande improviso, e se sai melhor
aquele que diante das adversidades, mantém a firmeza no olhar,
como quem esta certo do que esta fazendo. Ativa a imaginação e dá a volta na situação. 

E com sorte, consegue um desfecho todo cheio de bom humor.
O texto que não soma, falta não fará!
Sejamos nós: autores, diretores e atores da nossa própria história.
Solidifiquemos nossos caminhos de forma a serem lembrados com louvor.
Pois toda peça tem seu fim, e é a forma como dirigimos e atuamos que vai fazer
com que ela seja eternizada nas lembranças, ou que simplesmente caia no esquecimento.
No teatro da vida... IMPROVISEMOS.

 by:   A.P.