quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Vai



...E se acaso eu me calar,
não pense que é porque me faltam palavras.
...E se acaso eu não te olhar,
não pense que eu não te enxergo.
Pense somente que o que meus olhos vêem, eu já conheço de cor.
Deixe que eles sequem como as roupas do varal, e no momento derradeiro voltarão olhar em sua direção.
Sei dos seus defeitos, conheço seus conceitos...
Mas, o que fazer se tudo isso não me impede de amar?
O que posso te ofertar nesse exato instante,é o silêncio constante
de quem só queria te odiar.
Traída em meus pensamentos, me pego lembrando teu jeito
e esse bobo que bate em meu peito insiste em te desejar.
Sugiro que partas!
Vá para bem longe, onde meus olhos não possam mais te contemplar.
Vá para onde eu não sinta mais o teu perfume e nem o som da sua voz, que
decide se aveludar quando sente que estou decidida a não mais te querer.
( como se isso fosse opcional )
Arranca da minha boca o gosto do seu beijo,
tira do meu peito toda ansiedade e desejo e...
Vai!
Coloque em sua bagagem: as pedras e os espinhos,
toda falta de carinho e a aspereza que me fizeram calar.
Vá para bem longe... longe a ponto de não mais poder te encontrar.
Daí então, te buscarei com toda força do meu pensamento.
Que a saudade nos devolva os bons momentos,
que até então não sei dizer onde foi parar.
Então, vá! Suma no infinito, como ecoa o estridente grito
de quem não sabe gritar.
Sim......
Vá para longe...
Bem longe!
Só não se esqueça de voltar para me buscar!


by: A.P.

Nenhum comentário:

Postar um comentário