terça-feira, 26 de outubro de 2010

Dói mais em mim do que em você

Dói calar.
Dói mais em mim do que em ti.
O silêncio ecoa em gritos a falta da tua voz,
a boca amarga em palavras trancadas,.
O peito esta à beira de uma explosão,
o violão implora àquela "nossa" canção.
Os olhos se afogam involuntariamente no líquido salgado que se expeli.
Deve ser calor!                                                     
Pode ser saudade até!
Ou será dor?
O sono não consola, a cama gerou espinhos;
não me acolhe mais!
A comida ta sem sabor,
a bebida não refresca,...
Do chuveiro caem britas...
O tinteiro virou sobre nosso velho poema,
o pincel quebrou a ponta,
o relógio esta sem pilhas...
E o silêncio só me faz sentir doer.
Dói o corpo como se tomado por inflamação,
doem os dentes de tanto ranger,
dói o grito que se oprime entre as amígdalas.
Dói demais calar.
O silêncio dói!
Dói mais em mim do que em você...

by:  A.P.

Um comentário: