terça-feira, 26 de outubro de 2010

Dói mais em mim do que em você

Dói calar.
Dói mais em mim do que em ti.
O silêncio ecoa em gritos a falta da tua voz,
a boca amarga em palavras trancadas,.
O peito esta à beira de uma explosão,
o violão implora àquela "nossa" canção.
Os olhos se afogam involuntariamente no líquido salgado que se expeli.
Deve ser calor!                                                     
Pode ser saudade até!
Ou será dor?
O sono não consola, a cama gerou espinhos;
não me acolhe mais!
A comida ta sem sabor,
a bebida não refresca,...
Do chuveiro caem britas...
O tinteiro virou sobre nosso velho poema,
o pincel quebrou a ponta,
o relógio esta sem pilhas...
E o silêncio só me faz sentir doer.
Dói o corpo como se tomado por inflamação,
doem os dentes de tanto ranger,
dói o grito que se oprime entre as amígdalas.
Dói demais calar.
O silêncio dói!
Dói mais em mim do que em você...

by:  A.P.

sábado, 23 de outubro de 2010

Saudações, caro amigo poeta!


Poeta é um amante compulsivo e solitário, que derrama suas emoções em tinteiros e depois as lambuzam em papéis.
Na verdade, só ele sabe o significado de cada palavra.
Mas é mágico a forma q cada emoção é recebida e interpretada de maneira diferente, ...por cada leitor.

A cada qual tem seu sentido. a cada um, uma mensagem diferente. 

E a todos, a mesma magia....
A de despertar emoções!          

Muitas das vezes se manifesta silenciosamente, num grito quase q anônimo, a explosão de sentimentos que carrega no peito!

Poeta é o cara bacana que expressa em palavras tudo aquilo que queremos dizer,

mas não conseguimos organizar em palavras de forma que seja compreendido.

São como amigos que não conhecemos.

Essas criaturas sensíveis são como as "bombinhas para asmáticos" !!!

Descongestionam os canais obstruídos pela força dos sentimentos, que muitas das vezes por não ser nosso talento, não conseguimos descrever.

Saudações, caros amigos poetas! 

Emoções necessárias na vida de cada ser!

By

A.P.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Quero...( a gota que transborda a taça)

Vou morder uma barra de ferro até que ela tome o formato da minha indignação.
Quero corroer a coluna de concreto, para ver se me livro desse aperto no peito
Quero correr, gritar, xingar, chorar... até que se esvazie todo mau sentimento.
Quero acertar sua face com o melhor dos meus socos...
Quero caçar briga com as pessoas, na rua...                   
Quero chutar o cão que me avança...
Quero que meu encarregado me chame atenção...
Quero uma fechada no trânsito...
Aí sim, desferirei toda minha raiva.
Ah! Pobre do mortal que resolver cruzar o meu caminho.
Me sinto como um leão enjaulado e sem refeição.
Quero que minha mãe me acorde antes do meu sono terminar...
Quero que o gás acabe antes que o almoço esteja pronto...
Quero que a operadora do meu celular fique fora do ar...
Quero cavar um poço com uma colher...
Quero que minha cerveja congele esquecida no freezer...
Na verdade não só quero, mas preciso de um bom motivo para explodir!
(a gota que transborda a taça)
Estou à procura da tecla "phoda-se"; e se alguém souber onde ela esta,
peço a gentileza de me avisar!


by
A.P.

Carta aos meus amigos

Hoje quero estar com meus amigos
Quero sentar-me à mesa de melhor foco,                    
Tomar a cerveja mais gelada,
jogar conversa fora, falar besteiras e
em meio a tantas, falar também de coisas sérias; coisas da vida; sabe?!
Hoje quero somente meus amigos, e, diga-se de passagem, não são muitos.
Mas são de valores inquestionáveis!
Eu até prefiro mesmo que sejam poucos, porque este pouco une tantas coisas boas que,
seria indolente não ter tempo para dedicá-los.
Hoje quero o amor sem medidas de cada um dos meus fiéis escudeiros.
Quero partilhar de suas risadas, quero o abraço desinteressado, o beijo carinhoso sem malícia,
o pegar na mão de quem está disposto a conduzir quando a visão se torna turva.
Eh! Hoje quero estar com a dádiva que me foi dada.
Passeemos por lugares estranhos, e que nossos sorrisos tornem tudo mais normal.
Sim, esta decidido!
Hoje quero estar com vocês. E digo mais:
_Não só hoje; mas enquanto houver em nossos olhos" aquele" brilho, em nossos lábios "aquele" sorriso,
em nossos braços "aquele" abraço, em nossas mãos, o suave toque de quem apóia, e em nossos gestos
o mais generoso dom... O dom de cuidar.
Sejamos uns aos outros a água que irriga a terra árida, que um dia foi fértil.
Mas que por obra do destino, por falta de cuidados, se permitiu secar.
Sim! Cuidemos com carinho das feridas uns dos outros;
partilhemos nossas aventuras e devaneios.
Porque entre amigos não há julgamentos. A gente se entende,
se acolhe, se defende e, depois de acolhidos... Mostramos o melhor caminho uns aos outros.
Por isso decidi... Hoje quero estar com vocês, jóias preciosas!
Não sinto falta de abraços, os filmes de terror viram meras comédias quando estamos juntos;
os dias chuvosos, somente mais uma opção de diversão, e os dias escuros só mais uma certeza, a de
que haverá uma mão toda desprovida de interesses a me conduzir.
Decidi que o amor oferecido tem sido sustento.
Decidi que é muito bom serem poucos, pois assim posso dedicar toda minha atenção a vocês.
Hoje decidi, que a melhor decisão é estar com vocês; 
Amados amigos,
irmãos que escolhi!
by:
A.P.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Presente (Ciúmes)

Apagaram as luzes da sanidade
Me perdi entre mentiras e verdades
No gosto insosso do ciúmes
Me vejo em uma faca de dois gumes

Não traz para perto o passado
Além de não ser bom, acho isso errado!
O que passou, passou. Não vai mudar,
e despertar esses monstros, só irá nos machucar

Me olhas como criança carente
Se o passado fosse bom, não seria passado, seria presente
Me encanta o que tenho agora
Quero estar contigo, todo dia, a toda hora

O passado já passou, isso não importa
Não guardemos estes monstros por detrás de alguma porta              
Com você tudo é diferente
Se o q passou estivesse bom, não se chamaria passado
Chamaria: Presente!

Então, aquieta-te óh alma
Descansa nos braços q te acalma
Façamos uma história diferente
Onde nunca haja passado,
Seremos sempre o " PRESENTE"
By
:A.P.

domingo, 17 de outubro de 2010

Eu sonhei...

Eu queria te mostrar o mar, sabia?
Sonhei te conduzindo pela mão, com os pés descalços na areia quente,
passando pela multidão como quem meramente passava.
Eu sonhei com o brilho dos teus olhos deslumbrados com a imensidão das águas.
Desejei ver-te provar, somente para ter certeza de que era realmente salgada.
É como se eu pudesse sentir seu sorriso bobo e contido. A alegria de quem descobre a imensidão dos mistérios que se esconde ao mar.
Eu desejei sentar-me à beira do fim do impulso da última onda.
Desejei te mostrar o pôr do sol; o vôo das andorinhas, a brisa perfumada que o 
"imenso das águas" desfere para saudar a lua.
Eu desejei uma fogueira e um violão; desejei fazer-te uma canção.
A melodia que nunca se cantou!
Desejei dormir e acordar do teu lado, preparar nosso almoço...
Desejei apresentar-me imponente, somente para te convencer a lavar toda a louça depois da refeição.
Eu sonhei com nossos dias; e em meus sonhos, eles eram infinitos.
Sonhei te desejar por toda vida... E quando não houvesse mais vida,
que ainda assim sustentasse o desejo!
Uma pequena forma de, mesmo estando ausente, na força do pensamento se fazer presente...
Um pedacinho de meras recordações.
Eu sonhei com teus passos solitários na areia.
Buscando no reflexo da lua e no balanço das águas o silêncio que guardei no primeiro encontro à beira mar.
Sonhei com tua risada sarcástica, quando eu votava e decidia que hoje seria seu dia de cozinhar.
Desejei o balanço da rede na varanda arejada... Teus cuidados em dias ruins...
Desejei brigar, só para ficar de bem mais tarde.
Eu sonhei que você era um sonho bom.
Sonhei que nosso sonho não teria fim...
Sonhei que nossos planos eram os melhores,
nossos projetos os mais inusitados, e nossas alegrias,
a melhor de todas as alegrias.
Éh... Eu sonhei, desejei, planejei e quando acordei...Não vi você aqui!
Vou dormir mais um pouquinho... Abraçar meu travesseiro magrelo e;
se depender do meu desejo, neste novo sonho eu te beijo...
em um novo cenário, bom para te sonhar!
Éh... Eu sonhei!

A.P.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Coisa coisada...( só para descontrair um cadinho)

Tem gente que se enfeita...
Tem gente que se ajeita...
Tem gente que coisa tanta coisa no rosto,                                
que chega a ficar coisado!
Coisa de gente doida; imagino!
Tem gente que coisa tanto, que chego a temer tomar uma chuva do lado dessa gente.
Imagine quanta coisa pode acontecer quando a água bater nesses rostos coisados?
E quem se submete a dar uma carona pra essa gente coisada, depois de uma chuva?
Hã! Eu não!
"Vou la saber" se toda aquela coisa borrada é a mesma coisa enfeitada que vi antes da água cair.
Ai ai! Lembro ainda quando eu era criança, mamãe me levava em um lugar onde a cobertura era toda colorida.
Tinha uns caras lá que também eram todos coisados. Era bem engraçado!
Mas não me lembro de ter visto eles com o rosto coisado andando pelas ruas.
Outro dia; agora que já sou gente grande... Estava andando por uns bares bem badalados aí.
Daí comecei a reparar que tinha um tantão de gente que me fizeram lembrar aquele tempo que a mamãe me levava para ver os caras de rosto coisado.
Fiquei me perguntando: O que será que tem de tão errado com aquele rosto, a ponto de estar tão bem escondido por essas coisas?
Hummm! Sinistro!
Acho que é melhor nem querer saber!
Ah! Preciso comentar uma coisa.
Outro dia, que não foi o mesmo dia dos bares; vi uma menina com a bochecha tão vermelha, mas tão vermelha... Que não pude me conter.
Fui perguntar à ela o porque ela estava tão envergonhada.
Hahahaha! Vocês precisavam ver a cara que ela fez!
Ela disse: _Não estou envergonhada! Por que pensa isso?
Eu tomei do mais profundo silêncio, dei um sorriso todo bobo e fui saindo de fininho.
Logo comentei com um amigo, néh?
Este não se conteve e caiu na gargalhada; e disse: _ É blush! hahahahaha!
Ai ai ai.... Fazer isso com um inimigo e obrigá-lo a sair pelas ruas desse jeito, eu até entenderia.
Mas... Consigo mesmo? Não! ... Não vejo justificativa para tal ato!
Bem, nem quero comentar o resto das coisas que já vi por aí.
Vou encerrar dizendo que é muito bom ver uma pessoa bem cuidada, cheirosa, arrumada e talz. Mas o excesso esconde a essência; e tudo que é demais, sobra.
Existem traços, marcas e detalhes que fazem toda diferença em cada ser.
Cuidado para não coisar demais.
Porque coisa muita coisada, é coisa feia de se ver!

by:
A.P.

O amor ultrapassa os limites da vida... Por: Keila Gleyce - Macapá-AP

 E o que dizer dessa pequena notável?
Hum... Keila foi a pessoa que me fez chamar atenção por textos de poetas (quase) anônimos.
Ps: Quase anônimos pq não publicam suas obras em livros, porém  partilham de alguma forma, cada gota de inspiração.
O tal acaso se encarregou de cruzar as linhas de nossas vidas, e pouco a pouco fui conhecendo suas emoções contida em linhas, letras, versos e palavras. A fidelidade e transparência com q descreve seus sentimentos sempre me tomou a atenção. E hj posso dizer que essa amizade, mto embora distante, sempre se faz presente pelo q partilhamos.
Obrigada por estar aqui comigo em nosso cantinho! Amoo, viu?
Bora la!
Irei sentar- me à beirada da vida...
E observar...
A tristeza de cada ser humano...                                    
A felicidade...                                                                          
A desigualdade...
A injustiça...
A fidelidade...
A lealdade...
A gratidão...
A Lamentação...
 O choro..
O sorriso...
O desespero...
A paciência...
Enquanto isso enxergo...
O tempo passar
O mundo se esvaziar...
O  amanhecer o anoitecer enquanto não há nada mais dentro de mim..
Além dos sentimentos alheios...
Enquanto vejo a vida se indo ...
Tudo se apagando...
E Deus já tenha certeza que o planeta terra não os pertence...
E a vida dentro de cada um irá adormecendo... 
Canalizei as lágrimas,todos os sorrisos,as alegrias,as tristezas.. e os grandes amores.
Sem que  possam controlar o ar ..
Sem que possam controlar as batidas dos  corações...
 Sem que  possam respirar irão  dar o último suspiro de vida...
E o  amor  ultrapassará os limites da vida...
By: 
Keila Gleyce - Macapá-AP

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Vai



...E se acaso eu me calar,
não pense que é porque me faltam palavras.
...E se acaso eu não te olhar,
não pense que eu não te enxergo.
Pense somente que o que meus olhos vêem, eu já conheço de cor.
Deixe que eles sequem como as roupas do varal, e no momento derradeiro voltarão olhar em sua direção.
Sei dos seus defeitos, conheço seus conceitos...
Mas, o que fazer se tudo isso não me impede de amar?
O que posso te ofertar nesse exato instante,é o silêncio constante
de quem só queria te odiar.
Traída em meus pensamentos, me pego lembrando teu jeito
e esse bobo que bate em meu peito insiste em te desejar.
Sugiro que partas!
Vá para bem longe, onde meus olhos não possam mais te contemplar.
Vá para onde eu não sinta mais o teu perfume e nem o som da sua voz, que
decide se aveludar quando sente que estou decidida a não mais te querer.
( como se isso fosse opcional )
Arranca da minha boca o gosto do seu beijo,
tira do meu peito toda ansiedade e desejo e...
Vai!
Coloque em sua bagagem: as pedras e os espinhos,
toda falta de carinho e a aspereza que me fizeram calar.
Vá para bem longe... longe a ponto de não mais poder te encontrar.
Daí então, te buscarei com toda força do meu pensamento.
Que a saudade nos devolva os bons momentos,
que até então não sei dizer onde foi parar.
Então, vá! Suma no infinito, como ecoa o estridente grito
de quem não sabe gritar.
Sim......
Vá para longe...
Bem longe!
Só não se esqueça de voltar para me buscar!


by: A.P.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Por: Mariana Bentes - Macapá-AP

Não consigo resposta á minha tão confusa pergunta:
Cada minuto que se passa, é um a mais ou a menos?
Nem tem importância tal pergunta, já que não vai mudar minha insana vida.
Gosto dessa coisa boba de tanto faz, pois tanto faz sempre faz a diferença.
Vi meus sonhos perdidos em algum lugar de um sonho bobo,
Vi as tantas outras garotinhas que já habitaram no meu corpo, cada uma mais confusa que a outra!
Encontrei o que de incomum nos une, e nem senti mais dor; to anestesiada pelo estúpido normal que se tornou a crueldade do dia a dia.
Ouvi gritos de socorros, era meu “eu” implorando para que eu não me corrompa diante da maldade dos homens;
Eu não pude prometer nada, mais o confortei dizendo que se acontecer, serei só mais uma cobaia humana entre tantas outras.
Procurei sorrisos, e encontrei um monte de lágrimas dizendo que sempre tenho que partir por isso minha alma não consegue mais sorrir.
Voltei aos sonhos perdidos, em algum lugar de um sonho bobo;           
Um monte de espinhos em um caminho de rosas, e em algumas vezes não tinha como passar e então era preciso voltar e procurar um novo caminho a seguir,
Foi quando então eu mostrei as tantas outras garotinhas confusas de dentro de mim, que eu nunca desisti... Simplesmente tive que recomeçar.
Elas sorriram, e finalmente estão felizes e adormecidas dentro de mim.



by: Mariana Bentes

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Banda Srta. Zirma - Ribeirão Preto - SP

É com muito prazer que partilho um pedacinho desse espaço com essas meninas. Tive o prazer de assistir algumas apresentações, e confesso que virei tiéte. Há tempos que não ouvia tudo o que gosto de ouvir em casa em um único repertório. A Banda é resultado da junção de musicistas de alta qualidade. É isso mesmo! a formação é toda e exclusiva feminina; e vem tomando seu espaço nas noites ribeirãopretanas com repertório misto e arranjos que deixam as músicas com a cara da Banda.
Pra você que gosta de boa música, seguem os link's que disponibilizam a história da banda, agenda e um pouco mais do trabalho dessa gurizada:
www.twitter.com/srtazirma
www.formspring.me/srtazirma
www.myspace.com/bandasrtazirma
http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=3724285358670370084
http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=97159295
http://www.youtube.com/watch?v=4MGkLKint8U
www.oinovosom.com.br/srtazirma 
http://www.8p.com.br/olhaminhabandadempb/srtazirma/perfil  ( votem! :D )

Parabéns, meninas! e obrigada por fornecerem boa música aos meus ouvidos. :)

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Mobílias

Éh.......
As vezes é preciso trocar a mobília de lugar.
É bem trabalhoso; sabe? Mas é necessário organizar as coisas de forma que elas se encaixem perfeitamente.
Isso vai pra lá, aquilo vem pra cá ...... E começam a aparecer coisas que estavam perdidas, ou até mesmo escondidas por debaixo das mobílias.
Algumas coisas trazem lembranças. Umas doloridas, outras que roubam um tímido sorriso.
Em segundos, se perdem os sorrisos e as lágrimas, que vagueiam em lembranças... Velhas recordações.
É uma mistura de sensações, que me fazem questionar se realmente era necessário ter mexido naquele velho móvel.
Já comecei.... Agora preciso terminar.
Em meio às páginas do velho livro encontro alguns bilhetes. E olhando aqueles bilhetes, encontro em minhas lembranças bilhetes que já não mais os possuo. E esses sim, fazem doer.
As palavras que contive e os sentimentos não expressados; são lembranças nas quais eu não gostaria de mexer. Agora é tarde! Esta tudo fora do lugar, esparramado pelo chão do cômodo. E então, vem o entendimento da velha frase: " bexiga cheia submersa à água, permanece submersa por algum tempo; mas não para todo um sempre"!!!
Eis que as bexigas retornam ás superfícies... Inevitável!
Nossa! Juro que pensei somente que iria arrastar algumas coisas, puxar outras; mas...
Como num filme que descreve uma vida em 90 minutos, junto tudo em pastas devidamente organizadas; separo os pequenos presentes em uma gaveta e disponho os móveis na forma mais adequada para que me sobre espaço.
Pois sei que precisarei organizar as gavetas uma a uma, e isso requererá muito espaço.
Quero abordar cada coisa no seu devido tempo, porque tudo assim de uma só vez, é dolorido demais.
Pronto! As mobílias já estão em seus devidos lugares.
Olho para o chão e vejo as marcas que elas deixaram.
Tanto tempo no mesmo lugar, as fizeram de alguma forma marcar seus territórios.
Dedico-me então a limpar as marcar deixadas, a pronunciar as palavras não pronunciadas, a corrigir os velhos erros. Para que quando eu desejar mudar a mobília de lugar novamente, eu possa somente movimenta-las de forma harmoniosa, sem que haja muitas coisas para rever.

A.P.