sábado, 18 de dezembro de 2010

Desenganos

De enganos em enganos
Seguem-se...
DESENGANOS!
Sugam-se,
só não percebem que é veneno.
Violentam-se,
sem saber que é a si próprio.
Apagam-se luzes,
sem pensar que será necessário passar pelo caminho.
A menina não brinca mais com as bonecas,
cresceu!
O jogo que se joga
é o jogo da vida.
Ignora-se "causa e efeito"
Dói em ti,
doerá em mim.
Será?
Só vendo mesmo para saber.
Olho por olho,
e mais um pouco ninguém mais irá ver.
Talvez seja melhor assim!
Já que o que se vê é violento demais e difícil de abstrair.
Dente por dente,
e logo esqueceremos o que é morder.
Que bom! 
Menos uma arma de ferir.
Fecham-se as janelas por causa do forte vento,
mas o calor do quarto é torturante.
Confuso, contraditório... 
difícil de entender!
Valorizo o que me toma,
mas se a pimenta localiza-se indevidamente em local inoportuno e alheio,
vê-se como refresco,
porque a dor só é dolorosa na pele e no nervo de quem sente .
Doçura é a colher de açúcar que se excede na xícara de café.
Valores são papéis impressos tipograficamente marcados,
que se guarda em carteiras.
Caráter é tudo aquilo que se pode comprar ou mandar fazer.
E o que fazer?
......
Nada!
Já que o amor se tornou tema de livro publicado séculos atrás,
toma-se doses cavalares de interesses. 
O gelo toma conta daquele velho "pulsador",
e o que era vermelho e vivo, 
torna-se pálido, sem cor.
As peças do tabuleiro se movem de acordo às conveniências,
e já não mais importa de que forma;
o importante agora é ganhar.
Serviram-me vinagre em taça de vinho fino.
Qual a real intenção?
Sei lá!
Abandonaram os velhos hábitos dos brinquedos,
a tendência agora é brincar com sentimentos.
Mas que graça há de haver?
Não se encontram respostas concretas,
só o que se sabe, é que é moda.
E se é moda, fica fácil acontecer.
Não sei por quanto tempo durará o oxigênio,
mas já que desci em ponto errado
lutarei enquanto houver vida
para respirar.
E respirando,
continuarei tentando entender.
E mesmo que não entenda,
continuarei tentando.
Tentando amar, mesmo que não consiga compreender.
Olhos atentos...
Sigo observando como quem vê tudo pelo lado de fora.
E em meio a enganos, penso ser um filme.
Na realidade que me toma,
da cegueira que me guia,
no pequeno gole de pensamentos insanos,
agora vejo:
Desenganos...


Aline Patricia

sábado, 6 de novembro de 2010

Notas de uma nova canção

Poeiras caem do ímpeto topo da desolação.
Fecham-se as cortinas,
e como nos palcos...

É chegada a hora de ir para o camarim.                   
Não quero nada de tudo!
Quero tudo de nada!
Vejo o sol se pondo no céu vermelho por de traz do pico da montanha.
É chegada a hora de partir!
O velho instrumento já acomodado no keise                                 
faz volume na mão cansada do artista.
Acabou o show?
Não!
É somente o inicio de uma carreira solo.
A estrada se perde na visão conturbada e cansada do velho sonhador.
Mas as melodias surgem como nunca acontecera antes.                          
Será um sinal? 
...                                                                        
Assoviando segue o seu caminho.
Todo peso pouco a pouco vai ficando para traz.
E o suor que deveria ser um incômodo,
traz para fora toda inquietação que se guardava no saguão da alma.
Os olhos protegidos por lentes escuras
se voltam para o alto sem que se percam os rumos dos passos;
e num suspiro quase que profundo a alma respira aliviada.
Agora já não mais importa a velocidade de cada passada,
tão pouco quando e onde se vai chegar.
Já que não se sabe o destino derradeiro, o importante agora é caminhar.
Cada passo é compassado à respiração,
o assovio sugere uma nova canção.
E tendo em vista que lhe sobra livre uma das mãos,
em estalos de dedos surgem a marcação de um novo tempo, o novo compasso. 

Inspiração!
Notas são infundidas nas pausas,                      

e pausas infundidas às notas;
E o que se nota?
Notas de "uma nova canção"!


by: A.P.

Medo

O fogo queima,
no gelo que se sente,
da distância que aumenta.
O amor se isola a sete chaves,
o coração se esconde
e comprime os batimentos acelerados.
Medo? Saudade? Dor?
Entrega demasiada?
Não sei!
No delírio que se prende,
da loucura que se entrega.
Todo medo de repente,
do amante compulsivo que não se nega.
Sombras rodeiam transmitindo frio e calor,
a incerteza que se toma...
Prazer ou dor?
Ruínas devastadas,
tomadas por gente tola.
A certeza cega que o guia,
Noite clara/escura,                                                                
quente e fria...amor.
Os passos se perdem
diante da janela desejada.
O vento sopra como de costume.
Já é madrugada!
Os pés se antecipam
no calçamento molhado,
vê-se rostos conhecidos em toda parte,
por todos os lados.
Mas... a que se refere mesmo essa fuga?
Na verdade já não se recorda o verdadeiro motivo.
Tudo bem!
De fato, as palavras se misturam aos sentimentos entrelaçados aos pensamentos.
E olhando para rumo desconhecido, vê-se uma luz.
O saudoso astro que brilha anuncia a chegada de um novo dia.
Acelerar ou parar?
Guarda ou entrega?
Já não se sabe o porque se corre, ou para que se corre.
Deixa entrar, ou fecha a porta?
Não sei!
O medo exala seu aroma como um Malbec bem escolhido.
Mas eu gosto de vinhos!
Então nessa, caro e saudoso medo...
Devo dizer que você... PERDEU!!!


by:  A.P.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Dói mais em mim do que em você

Dói calar.
Dói mais em mim do que em ti.
O silêncio ecoa em gritos a falta da tua voz,
a boca amarga em palavras trancadas,.
O peito esta à beira de uma explosão,
o violão implora àquela "nossa" canção.
Os olhos se afogam involuntariamente no líquido salgado que se expeli.
Deve ser calor!                                                     
Pode ser saudade até!
Ou será dor?
O sono não consola, a cama gerou espinhos;
não me acolhe mais!
A comida ta sem sabor,
a bebida não refresca,...
Do chuveiro caem britas...
O tinteiro virou sobre nosso velho poema,
o pincel quebrou a ponta,
o relógio esta sem pilhas...
E o silêncio só me faz sentir doer.
Dói o corpo como se tomado por inflamação,
doem os dentes de tanto ranger,
dói o grito que se oprime entre as amígdalas.
Dói demais calar.
O silêncio dói!
Dói mais em mim do que em você...

by:  A.P.

sábado, 23 de outubro de 2010

Saudações, caro amigo poeta!


Poeta é um amante compulsivo e solitário, que derrama suas emoções em tinteiros e depois as lambuzam em papéis.
Na verdade, só ele sabe o significado de cada palavra.
Mas é mágico a forma q cada emoção é recebida e interpretada de maneira diferente, ...por cada leitor.

A cada qual tem seu sentido. a cada um, uma mensagem diferente. 

E a todos, a mesma magia....
A de despertar emoções!          

Muitas das vezes se manifesta silenciosamente, num grito quase q anônimo, a explosão de sentimentos que carrega no peito!

Poeta é o cara bacana que expressa em palavras tudo aquilo que queremos dizer,

mas não conseguimos organizar em palavras de forma que seja compreendido.

São como amigos que não conhecemos.

Essas criaturas sensíveis são como as "bombinhas para asmáticos" !!!

Descongestionam os canais obstruídos pela força dos sentimentos, que muitas das vezes por não ser nosso talento, não conseguimos descrever.

Saudações, caros amigos poetas! 

Emoções necessárias na vida de cada ser!

By

A.P.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Quero...( a gota que transborda a taça)

Vou morder uma barra de ferro até que ela tome o formato da minha indignação.
Quero corroer a coluna de concreto, para ver se me livro desse aperto no peito
Quero correr, gritar, xingar, chorar... até que se esvazie todo mau sentimento.
Quero acertar sua face com o melhor dos meus socos...
Quero caçar briga com as pessoas, na rua...                   
Quero chutar o cão que me avança...
Quero que meu encarregado me chame atenção...
Quero uma fechada no trânsito...
Aí sim, desferirei toda minha raiva.
Ah! Pobre do mortal que resolver cruzar o meu caminho.
Me sinto como um leão enjaulado e sem refeição.
Quero que minha mãe me acorde antes do meu sono terminar...
Quero que o gás acabe antes que o almoço esteja pronto...
Quero que a operadora do meu celular fique fora do ar...
Quero cavar um poço com uma colher...
Quero que minha cerveja congele esquecida no freezer...
Na verdade não só quero, mas preciso de um bom motivo para explodir!
(a gota que transborda a taça)
Estou à procura da tecla "phoda-se"; e se alguém souber onde ela esta,
peço a gentileza de me avisar!


by
A.P.

Carta aos meus amigos

Hoje quero estar com meus amigos
Quero sentar-me à mesa de melhor foco,                    
Tomar a cerveja mais gelada,
jogar conversa fora, falar besteiras e
em meio a tantas, falar também de coisas sérias; coisas da vida; sabe?!
Hoje quero somente meus amigos, e, diga-se de passagem, não são muitos.
Mas são de valores inquestionáveis!
Eu até prefiro mesmo que sejam poucos, porque este pouco une tantas coisas boas que,
seria indolente não ter tempo para dedicá-los.
Hoje quero o amor sem medidas de cada um dos meus fiéis escudeiros.
Quero partilhar de suas risadas, quero o abraço desinteressado, o beijo carinhoso sem malícia,
o pegar na mão de quem está disposto a conduzir quando a visão se torna turva.
Eh! Hoje quero estar com a dádiva que me foi dada.
Passeemos por lugares estranhos, e que nossos sorrisos tornem tudo mais normal.
Sim, esta decidido!
Hoje quero estar com vocês. E digo mais:
_Não só hoje; mas enquanto houver em nossos olhos" aquele" brilho, em nossos lábios "aquele" sorriso,
em nossos braços "aquele" abraço, em nossas mãos, o suave toque de quem apóia, e em nossos gestos
o mais generoso dom... O dom de cuidar.
Sejamos uns aos outros a água que irriga a terra árida, que um dia foi fértil.
Mas que por obra do destino, por falta de cuidados, se permitiu secar.
Sim! Cuidemos com carinho das feridas uns dos outros;
partilhemos nossas aventuras e devaneios.
Porque entre amigos não há julgamentos. A gente se entende,
se acolhe, se defende e, depois de acolhidos... Mostramos o melhor caminho uns aos outros.
Por isso decidi... Hoje quero estar com vocês, jóias preciosas!
Não sinto falta de abraços, os filmes de terror viram meras comédias quando estamos juntos;
os dias chuvosos, somente mais uma opção de diversão, e os dias escuros só mais uma certeza, a de
que haverá uma mão toda desprovida de interesses a me conduzir.
Decidi que o amor oferecido tem sido sustento.
Decidi que é muito bom serem poucos, pois assim posso dedicar toda minha atenção a vocês.
Hoje decidi, que a melhor decisão é estar com vocês; 
Amados amigos,
irmãos que escolhi!
by:
A.P.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Presente (Ciúmes)

Apagaram as luzes da sanidade
Me perdi entre mentiras e verdades
No gosto insosso do ciúmes
Me vejo em uma faca de dois gumes

Não traz para perto o passado
Além de não ser bom, acho isso errado!
O que passou, passou. Não vai mudar,
e despertar esses monstros, só irá nos machucar

Me olhas como criança carente
Se o passado fosse bom, não seria passado, seria presente
Me encanta o que tenho agora
Quero estar contigo, todo dia, a toda hora

O passado já passou, isso não importa
Não guardemos estes monstros por detrás de alguma porta              
Com você tudo é diferente
Se o q passou estivesse bom, não se chamaria passado
Chamaria: Presente!

Então, aquieta-te óh alma
Descansa nos braços q te acalma
Façamos uma história diferente
Onde nunca haja passado,
Seremos sempre o " PRESENTE"
By
:A.P.

domingo, 17 de outubro de 2010

Eu sonhei...

Eu queria te mostrar o mar, sabia?
Sonhei te conduzindo pela mão, com os pés descalços na areia quente,
passando pela multidão como quem meramente passava.
Eu sonhei com o brilho dos teus olhos deslumbrados com a imensidão das águas.
Desejei ver-te provar, somente para ter certeza de que era realmente salgada.
É como se eu pudesse sentir seu sorriso bobo e contido. A alegria de quem descobre a imensidão dos mistérios que se esconde ao mar.
Eu desejei sentar-me à beira do fim do impulso da última onda.
Desejei te mostrar o pôr do sol; o vôo das andorinhas, a brisa perfumada que o 
"imenso das águas" desfere para saudar a lua.
Eu desejei uma fogueira e um violão; desejei fazer-te uma canção.
A melodia que nunca se cantou!
Desejei dormir e acordar do teu lado, preparar nosso almoço...
Desejei apresentar-me imponente, somente para te convencer a lavar toda a louça depois da refeição.
Eu sonhei com nossos dias; e em meus sonhos, eles eram infinitos.
Sonhei te desejar por toda vida... E quando não houvesse mais vida,
que ainda assim sustentasse o desejo!
Uma pequena forma de, mesmo estando ausente, na força do pensamento se fazer presente...
Um pedacinho de meras recordações.
Eu sonhei com teus passos solitários na areia.
Buscando no reflexo da lua e no balanço das águas o silêncio que guardei no primeiro encontro à beira mar.
Sonhei com tua risada sarcástica, quando eu votava e decidia que hoje seria seu dia de cozinhar.
Desejei o balanço da rede na varanda arejada... Teus cuidados em dias ruins...
Desejei brigar, só para ficar de bem mais tarde.
Eu sonhei que você era um sonho bom.
Sonhei que nosso sonho não teria fim...
Sonhei que nossos planos eram os melhores,
nossos projetos os mais inusitados, e nossas alegrias,
a melhor de todas as alegrias.
Éh... Eu sonhei, desejei, planejei e quando acordei...Não vi você aqui!
Vou dormir mais um pouquinho... Abraçar meu travesseiro magrelo e;
se depender do meu desejo, neste novo sonho eu te beijo...
em um novo cenário, bom para te sonhar!
Éh... Eu sonhei!

A.P.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Coisa coisada...( só para descontrair um cadinho)

Tem gente que se enfeita...
Tem gente que se ajeita...
Tem gente que coisa tanta coisa no rosto,                                
que chega a ficar coisado!
Coisa de gente doida; imagino!
Tem gente que coisa tanto, que chego a temer tomar uma chuva do lado dessa gente.
Imagine quanta coisa pode acontecer quando a água bater nesses rostos coisados?
E quem se submete a dar uma carona pra essa gente coisada, depois de uma chuva?
Hã! Eu não!
"Vou la saber" se toda aquela coisa borrada é a mesma coisa enfeitada que vi antes da água cair.
Ai ai! Lembro ainda quando eu era criança, mamãe me levava em um lugar onde a cobertura era toda colorida.
Tinha uns caras lá que também eram todos coisados. Era bem engraçado!
Mas não me lembro de ter visto eles com o rosto coisado andando pelas ruas.
Outro dia; agora que já sou gente grande... Estava andando por uns bares bem badalados aí.
Daí comecei a reparar que tinha um tantão de gente que me fizeram lembrar aquele tempo que a mamãe me levava para ver os caras de rosto coisado.
Fiquei me perguntando: O que será que tem de tão errado com aquele rosto, a ponto de estar tão bem escondido por essas coisas?
Hummm! Sinistro!
Acho que é melhor nem querer saber!
Ah! Preciso comentar uma coisa.
Outro dia, que não foi o mesmo dia dos bares; vi uma menina com a bochecha tão vermelha, mas tão vermelha... Que não pude me conter.
Fui perguntar à ela o porque ela estava tão envergonhada.
Hahahaha! Vocês precisavam ver a cara que ela fez!
Ela disse: _Não estou envergonhada! Por que pensa isso?
Eu tomei do mais profundo silêncio, dei um sorriso todo bobo e fui saindo de fininho.
Logo comentei com um amigo, néh?
Este não se conteve e caiu na gargalhada; e disse: _ É blush! hahahahaha!
Ai ai ai.... Fazer isso com um inimigo e obrigá-lo a sair pelas ruas desse jeito, eu até entenderia.
Mas... Consigo mesmo? Não! ... Não vejo justificativa para tal ato!
Bem, nem quero comentar o resto das coisas que já vi por aí.
Vou encerrar dizendo que é muito bom ver uma pessoa bem cuidada, cheirosa, arrumada e talz. Mas o excesso esconde a essência; e tudo que é demais, sobra.
Existem traços, marcas e detalhes que fazem toda diferença em cada ser.
Cuidado para não coisar demais.
Porque coisa muita coisada, é coisa feia de se ver!

by:
A.P.

O amor ultrapassa os limites da vida... Por: Keila Gleyce - Macapá-AP

 E o que dizer dessa pequena notável?
Hum... Keila foi a pessoa que me fez chamar atenção por textos de poetas (quase) anônimos.
Ps: Quase anônimos pq não publicam suas obras em livros, porém  partilham de alguma forma, cada gota de inspiração.
O tal acaso se encarregou de cruzar as linhas de nossas vidas, e pouco a pouco fui conhecendo suas emoções contida em linhas, letras, versos e palavras. A fidelidade e transparência com q descreve seus sentimentos sempre me tomou a atenção. E hj posso dizer que essa amizade, mto embora distante, sempre se faz presente pelo q partilhamos.
Obrigada por estar aqui comigo em nosso cantinho! Amoo, viu?
Bora la!
Irei sentar- me à beirada da vida...
E observar...
A tristeza de cada ser humano...                                    
A felicidade...                                                                          
A desigualdade...
A injustiça...
A fidelidade...
A lealdade...
A gratidão...
A Lamentação...
 O choro..
O sorriso...
O desespero...
A paciência...
Enquanto isso enxergo...
O tempo passar
O mundo se esvaziar...
O  amanhecer o anoitecer enquanto não há nada mais dentro de mim..
Além dos sentimentos alheios...
Enquanto vejo a vida se indo ...
Tudo se apagando...
E Deus já tenha certeza que o planeta terra não os pertence...
E a vida dentro de cada um irá adormecendo... 
Canalizei as lágrimas,todos os sorrisos,as alegrias,as tristezas.. e os grandes amores.
Sem que  possam controlar o ar ..
Sem que possam controlar as batidas dos  corações...
 Sem que  possam respirar irão  dar o último suspiro de vida...
E o  amor  ultrapassará os limites da vida...
By: 
Keila Gleyce - Macapá-AP

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Vai



...E se acaso eu me calar,
não pense que é porque me faltam palavras.
...E se acaso eu não te olhar,
não pense que eu não te enxergo.
Pense somente que o que meus olhos vêem, eu já conheço de cor.
Deixe que eles sequem como as roupas do varal, e no momento derradeiro voltarão olhar em sua direção.
Sei dos seus defeitos, conheço seus conceitos...
Mas, o que fazer se tudo isso não me impede de amar?
O que posso te ofertar nesse exato instante,é o silêncio constante
de quem só queria te odiar.
Traída em meus pensamentos, me pego lembrando teu jeito
e esse bobo que bate em meu peito insiste em te desejar.
Sugiro que partas!
Vá para bem longe, onde meus olhos não possam mais te contemplar.
Vá para onde eu não sinta mais o teu perfume e nem o som da sua voz, que
decide se aveludar quando sente que estou decidida a não mais te querer.
( como se isso fosse opcional )
Arranca da minha boca o gosto do seu beijo,
tira do meu peito toda ansiedade e desejo e...
Vai!
Coloque em sua bagagem: as pedras e os espinhos,
toda falta de carinho e a aspereza que me fizeram calar.
Vá para bem longe... longe a ponto de não mais poder te encontrar.
Daí então, te buscarei com toda força do meu pensamento.
Que a saudade nos devolva os bons momentos,
que até então não sei dizer onde foi parar.
Então, vá! Suma no infinito, como ecoa o estridente grito
de quem não sabe gritar.
Sim......
Vá para longe...
Bem longe!
Só não se esqueça de voltar para me buscar!


by: A.P.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Por: Mariana Bentes - Macapá-AP

Não consigo resposta á minha tão confusa pergunta:
Cada minuto que se passa, é um a mais ou a menos?
Nem tem importância tal pergunta, já que não vai mudar minha insana vida.
Gosto dessa coisa boba de tanto faz, pois tanto faz sempre faz a diferença.
Vi meus sonhos perdidos em algum lugar de um sonho bobo,
Vi as tantas outras garotinhas que já habitaram no meu corpo, cada uma mais confusa que a outra!
Encontrei o que de incomum nos une, e nem senti mais dor; to anestesiada pelo estúpido normal que se tornou a crueldade do dia a dia.
Ouvi gritos de socorros, era meu “eu” implorando para que eu não me corrompa diante da maldade dos homens;
Eu não pude prometer nada, mais o confortei dizendo que se acontecer, serei só mais uma cobaia humana entre tantas outras.
Procurei sorrisos, e encontrei um monte de lágrimas dizendo que sempre tenho que partir por isso minha alma não consegue mais sorrir.
Voltei aos sonhos perdidos, em algum lugar de um sonho bobo;           
Um monte de espinhos em um caminho de rosas, e em algumas vezes não tinha como passar e então era preciso voltar e procurar um novo caminho a seguir,
Foi quando então eu mostrei as tantas outras garotinhas confusas de dentro de mim, que eu nunca desisti... Simplesmente tive que recomeçar.
Elas sorriram, e finalmente estão felizes e adormecidas dentro de mim.



by: Mariana Bentes

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Banda Srta. Zirma - Ribeirão Preto - SP

É com muito prazer que partilho um pedacinho desse espaço com essas meninas. Tive o prazer de assistir algumas apresentações, e confesso que virei tiéte. Há tempos que não ouvia tudo o que gosto de ouvir em casa em um único repertório. A Banda é resultado da junção de musicistas de alta qualidade. É isso mesmo! a formação é toda e exclusiva feminina; e vem tomando seu espaço nas noites ribeirãopretanas com repertório misto e arranjos que deixam as músicas com a cara da Banda.
Pra você que gosta de boa música, seguem os link's que disponibilizam a história da banda, agenda e um pouco mais do trabalho dessa gurizada:
www.twitter.com/srtazirma
www.formspring.me/srtazirma
www.myspace.com/bandasrtazirma
http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=3724285358670370084
http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=97159295
http://www.youtube.com/watch?v=4MGkLKint8U
www.oinovosom.com.br/srtazirma 
http://www.8p.com.br/olhaminhabandadempb/srtazirma/perfil  ( votem! :D )

Parabéns, meninas! e obrigada por fornecerem boa música aos meus ouvidos. :)

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Mobílias

Éh.......
As vezes é preciso trocar a mobília de lugar.
É bem trabalhoso; sabe? Mas é necessário organizar as coisas de forma que elas se encaixem perfeitamente.
Isso vai pra lá, aquilo vem pra cá ...... E começam a aparecer coisas que estavam perdidas, ou até mesmo escondidas por debaixo das mobílias.
Algumas coisas trazem lembranças. Umas doloridas, outras que roubam um tímido sorriso.
Em segundos, se perdem os sorrisos e as lágrimas, que vagueiam em lembranças... Velhas recordações.
É uma mistura de sensações, que me fazem questionar se realmente era necessário ter mexido naquele velho móvel.
Já comecei.... Agora preciso terminar.
Em meio às páginas do velho livro encontro alguns bilhetes. E olhando aqueles bilhetes, encontro em minhas lembranças bilhetes que já não mais os possuo. E esses sim, fazem doer.
As palavras que contive e os sentimentos não expressados; são lembranças nas quais eu não gostaria de mexer. Agora é tarde! Esta tudo fora do lugar, esparramado pelo chão do cômodo. E então, vem o entendimento da velha frase: " bexiga cheia submersa à água, permanece submersa por algum tempo; mas não para todo um sempre"!!!
Eis que as bexigas retornam ás superfícies... Inevitável!
Nossa! Juro que pensei somente que iria arrastar algumas coisas, puxar outras; mas...
Como num filme que descreve uma vida em 90 minutos, junto tudo em pastas devidamente organizadas; separo os pequenos presentes em uma gaveta e disponho os móveis na forma mais adequada para que me sobre espaço.
Pois sei que precisarei organizar as gavetas uma a uma, e isso requererá muito espaço.
Quero abordar cada coisa no seu devido tempo, porque tudo assim de uma só vez, é dolorido demais.
Pronto! As mobílias já estão em seus devidos lugares.
Olho para o chão e vejo as marcas que elas deixaram.
Tanto tempo no mesmo lugar, as fizeram de alguma forma marcar seus territórios.
Dedico-me então a limpar as marcar deixadas, a pronunciar as palavras não pronunciadas, a corrigir os velhos erros. Para que quando eu desejar mudar a mobília de lugar novamente, eu possa somente movimenta-las de forma harmoniosa, sem que haja muitas coisas para rever.

A.P.

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Celine Guedes e Willian Cardoso - Macapá - AP

E por falar em acaso, esse foi o maior de todos os acasos que já vi!
Conheci esses lindos no Festival de música da Alta Mogiana (FAM) Rib. Preto-SP. Fui assistir o show de Beto Guedes, e voltei pra casa somatizando dois amigos. William (compositor) e Celine (intérprete), vem representando os talentos do extremo Norte em vários festivais que acontecem pelo País. E em uma dessas paradas tive o prazer de conhecer essas figuras magnificas. É com muito carinho que divido com vcs, a apresentação da música: Chorinho de mulher.
Saudades de vcs, amados!

Thaís Felicio - Conchas - SP

Bom...; além dos textos, quero partilhar também alguns projetos musicais nos quais coloco toda minha credibilidade. E é com o peito transbordando de orgulho, que apresento a vcs essa figurinha magnifica que também por obra de uma força maior,passou a fazer parte da minha vida. Thaís Felicio tem um currículo musical que dispensa apresentações. Graduada em canto lírico e pianista, vem fazendo sua história interpretando grandes nomes da musica popular brasileira, e tbm sucessos internacionais.
Thata, é um enorme prazer ter vc aqui no nosso cantinho.
Obrigada por fazer parte da minha história! Adóoooroo!

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Salga-me

Salga-me com o sal do teu corpo
Salga-me com o sal do teu suor
Salga-me com o sal de tuas palavras
Salga-me...somente para me adoçar depois



Salga-me com tuas ideias malucas                                     
Salga-me com tuas atitudes confusas
Salga-me como um dos seus preparos na cozinha
Salga-me somente para me adoçar depois


Salga-me como aquele peixe do primeiro encontro
Salga-me como o aliche daquela pizza mau escolhida
Salga-me com tuas más intenções
Salga-me somente para me adoçar depois



Salga-me pq tens o controle da situação
Salga-me pq entre nós, nunca estou com a razão
Salga-me pq tens o dom dos sabores
Salga-me somente para ter um bom motivo para me adoçar depois



Salga-me, pq adoça-me com teus beijos
Salga-me, pq adoça-me com teus carinhos
Salga-me pq adoça-me nas delicias do teu corpo
Então SALGA-ME. Pq necessito do mel que me adoça depois.






by; A.P.

Por: Dani Chies - Porto Alegre-RS

Ah! e que honra poder também partilhar um pouco da intensidade, contida e compactada em doses homeopáticas, desta figurinha genial que o acaso também tratou de colocar em minha vida.
Digo contida e compactada, porque sou testemunha da intensidade das explosões de emoções que a Dani traz consigo. E posso garantir que o que vão ler agora, não é sequer a quinta parte do que ela estava sentindo quando escreveu.
Obrigada tatinha, por partilhar com os amigos suas emoções! Big bjs!
Bora lá!


Eu sou desmedida, ampliada,
compactada a um corpo,
feito planta na garrafa... sou grito na garrafa...
mensagem naufragada... náufrago gritante.
inundada de imensidão, reprimida por dentro,
invasiva  escrotamente  por fora.
Sou água, sou garrafa, sou mar e navegante
Ainda rasa, polida e rasteira quando quero
profunda, apaixonada e alpestre quando não quero                    
Não cabe em mim tudo que se diz sobre mim...
nem o que eu digo,
que já se precisa dizer pra não me enlouquecer
 Meu caminho é torto
meus passos são irregulares
entre largos, curtos, pra frente, pra trás...
Unilaterais?
Me cansei de olhar pro lado assim
Eu me perco entre os rastros que tentamos apagar.
Você me tenta nos erros que cansei de cometer
e esquece que eu sou mais tentada a "desistir e te tentar"
Isso, digo com certeza, é simultâneo...
que eu to contigo e nunca te vejo
finjo ao mesmo tempo que sinto
e declaro de peito aberto as minhas verdades...
Isso, não é desrespeito,
que eu também preciso outorgar,
é apenas algum pouco do amor que o peito suplica
e descansando essa fração que se faz,
por vontade própria, cansativa demais
quero gritar...
não só o amor... mas o ódio...
a tristeza e a explosão...
eu e eu... eu e tudo...
tudo e nada
 to sentindo... e fingindo... mas sentindo muito...
e isso é grande... maior que o dizer
é nosso número... com folga pra vida toda
pra, se precisar crescer... que seja dentro de nós.

by: Dani Chies

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Por: Mariana Bentes - Macapá-AP

É com muito prazer que apresento essa figurinha magnifica que um dia cruzou o meu caminho.
Mariana Bentes é dona das escritas mais contestantes que já li até hoje.
Saudações, minha pequena! Obrigada por aceitar fazer parte do nosso cantinho! Big bjs!
Vejamos então...

Busquei dentro de mim e encontrei a verdadeira essência do meu ser.
Cansei de sonhos comuns, de "amigos" superficiais, de uma vida emprestada.
Chega de meias palavras, de esperar que tudo mude do nada; nao quero mas um simples rostinho de boneca, com o cabelo sempre arrumado.
Demorei bastante, mas finalmente encontrei meu desejo oculto...
Quero meu próprio mundo; poder chorar minhas desilusoes, falar comigo mesma sem que ninguem me tache de "louca".
Quero sair no meio da noite e sentar na areia, admirando a escuridao que esconde a beleza do mar,
dormir de conchinha com meu travesseiro em noites chuvosas,
quero poder chorar ouvindo minha música preferida,
sonhar com amores impossiveis...
Quero ter o meu lugar todo "arrumadinho", e talvez quando eu cansar da perfeiçao,
jogo a toalha molhada na cama, deixo a louça suja na pia(...)
Desejo minha vidinha bizarra, mas que seja minha, só minha...                             
Quem sabe logo,
logo eu mudo minhas vontades e de repente vou dividir meus sorrisos com um amor irreal,
andar na chuva de maos dadas com meus amigos,
ou quem sabe reunir a galera e passar a noite relembrando momentos únicos, que sao nossos.
Talvez todo mundo termine na sala, depois de uma imensidao de alegrias revividas.
É, me decidi:
_EU QUERO VIVER A INTENSIDADE QUE A MAGIA DO DESCONHECIDO OFERECE.

by: Mariana Bentes

Por quê?

Das terras quentes, o destino me trouxe você.
Mas por que me trouxe se logo te levaria de volta?
Não sei o q pensar.
Estava tudo em seu devido lugar, quando de repente, como na divisão dos hemisférios, as águas começam a girar para o lado contrário.
Ironia do destino?
Paga de pecados?
Açoite da vida?
Ou um convite a quietação?
O pior é teu silêncio, que trás dúvidas e lamentos, pois teus sentimentos não posso prever.
O que buscavas quando me encontrou?
Por que chorou naquela noite?
O que trazes em sua alma?
Talvez sejam perguntas nas quais nunca terei respostas.
Não tenho as fotografias, mas os negativos de tua imagem passam como um slide em minha memória.
E agora, o que fazer com essas lembranças?
Despertou em meu peito a carência de uma criança, que grita por teu seio a me amparar.
Ah! Teus seios!
Deleito-me, como lábios que provam do mel, lembrando do teu gosto que por alguns instantes me levaram ao céu.
E que hoje de desejos me amarga a alma, que não sossega e nem acalma, por teu gosto não mais poder provar.
Volta oh mais bela das criaturas, tenho muito ainda para te mostrar.
Aquele cinto q não desabotoei; aquele jeans q não tirei; são monstros q vivem a me rondar.
Deixastes minha alma ferida, angustiada e entristecida, sem a certeza de q um dia realmente irei te provar.
Por que passaste por aqui?                    
Invadiu o meu mundo, me transbordou em alguns segundos, tudo que passei a vida a evitar.
Mexestes com o mais profundo e adormecido sentimento, que me levou da alegria ao tormento, quando te vi embarcar.
Leve ao menos meu sorriso, para que em dias tristes, possas ter a certeza de que tem alguém a te esperar.
Não sei porque você apareceu, nem tão pouco porque partiu. Mas em algum lugar deve estar escrito, e minha mais nova proposta  é esse mistério desvendar.
Por quê?

by:
A.P.

Amigo

Amigo, me perdoe ser assim do jeito que eu sou
Cheia de defeitos, inconstante sei q sou, mas te amo...
Amigo, me perdoe se as vezes te deixei faltar o meu sorriso
Quando mais tu precisastes nos meus braços não encontrou o ombro amigo. Mas, te amo...
Amigo, sei q as vezes minhas palavras dispensaram alguns espinhos
Sei que esperou q eu tirasse aquela pedra em teu caminho. Mas, te amo...
Amigo, hoje sei que choras e reclamas pois parti
Mas entenda amigo onde quer que eu vá meu coração esta sempre aqui. Porque te amo...
Amigo, lembro ainda aquele dia que o sorriso esperou,
No silêncio dos meus lábios minha alma se alegrou. Porque te amo...
Amigo, lembro ainda aquele dia que o abraço te faltou,
Enquanto vc chorava o silêncio me tomou, é que eu pedia a Deus que aliviasse tua dor. Porque te amo...
Amigo, lembro ainda aquela pedra que ao chão te derrubou,
Não entendeste meu silêncio, nos meus olhos não olhou. Mas eu te amo, te amo...
Amigo, sei que agora é o momento, eu já posso te explicar,
Amizades tem espinhos,mas o amor faz suportar. E eu te amo, te amo...
Amigo, já estou me estendendo, já é hora de parar
Foi depois daquela pedra que aprendestes à levantar. Saiba eu te amo, te amo... AMIGO


by: A.P.

Metade

Procuro minha outra metade, não sei bem onde foi que se escondeu.
Procuro seu sorriso bobo, sua malícia inocente, seu olhar atraente, que por alguns segundos tive a sensação de me devorar.
Procuro o deslumbre que vi no seu olhar, aquela sede de se entregar, em teus atos perdidos, vi teus desejos escondidos. Era o medo de se apaixonar.
Lembro bem aquela dança; não esqueço dos teus olhos procurando a direção dos meus. E é claro que estavam em ti.
Me provocou como quem realmente queria uma reação. E como não reagir a tanto encanto?
Sinto ainda o toque de suas mãos em minhas costas, seu sorriso, minha melhor resposta. E o seu morder de lábios não poderei mais esquecer.
Embriagaste-me com seus beijos, me transbordou o peito em desejos e mil loucuras me fizeste fazer.
Passear de mãos dadas, sem medo de ninguém e de nada, sem ao menos pensar no que poderia acontecer.
Não sei se foi um sonho. E se foi, não deveríamos ter acordado.                      
Na cama vazia, solitária e fria, vivo meus dias a te buscar.
Não sei para onde foi a minha metade. Tão pouco sei se tornarei  encontra-la.
Sei que grita em minh'alma esse vazio, ecoa o silêncio solitário e frio dos meus pensamentos que insiste em te querer.
Devolva minha metade, meu sorriso. Pois é tudo que preciso para os passos firmes eu manter.
Se eu pudesse prever esse vazio, fugiria dos teus carinhos como um rio que corre em direção ao mar.
Sei que minha metade tem suas metades. E que maldade foi essa que o destino quis surpreender?
Metades de mundos diferentes, opostos, vazios e ausentes, que buscarei sempre em minhas lembranças transcender.
Me acostumarei com esse vazio, com o quarto solitário e frio, pois sei que minha metade talvez; nunca mais irei ver.

by
Aline patricia

Gosto...(simples assim...)

Gosto do teu cheiro
Não falo da fragrância do teu perfume
Falo do cheiro da tua pele, aquele que te foi dado e que é todo e exclusivo seu.    
Gosto do seu olhar, de como me olha nos olhos,
da profundidade em que nos perdemos, onde segundos se tornam eternos.
Gosto do perigo de te olhar, do frio na barriga que sinto quando alcanças os mais íntimos dos meus pensamentos;
Quando o portal dos meus olhos abrem os segredos mais profundos da minha alma.           
Gosto de te imaginar assim, só pra mim.
Gosto do tom da tua voz, da beleza exótica misturada a doçura   
Gosto do teu sorriso, e confesso que ele me leva a loucura.
Gosto do teu jeito de andar, da sua postura atraente
Quando você passa, não vejo mais nada em minha frente.
Gosto da saudade que me provoca quando não posso te ver.
Gosto da viagem dos meus pensamentos que parecem te buscar em cada detalhe, em cada ser.
Te sinto em lugares estranhos, em músicas que nunca partilhamos.
Te imagino em cada refeição.
Te dedico cada surto de inspiração!
Tens sido motivo das linhas escritas, dos sonhos distantes.
Do prazer do desprazer de te querer e não te ter.
Gosto de te desejar, até mesmo quando tenho a certeza de ser um desejo insano
Gosto do te querer, sem ter certeza de q um dia irei te ter...
Gosto do doce amargo dissabor de te esperar.
Gosto do gosto desgostoso de te gostar
Gosto da incerteza de ir ao seu encontro, sem saber se vou te encontrar!
Gosto de vc assim...
Cantando, olhando e sorrindo pra mim
!
:)
by Aline Patricia
26/09/2010

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Apresento-me

Olhos atentos,
Sorriso contido.
Atraio como ímãs, sinais de perigo!
Bico doce por excelência,
Qualquer hora levo uma surra jurando inocência!
Fiel... Aos meus sentimentos.
Digo que amo, quando realmente sinto.
Mas não pergunte se eu não disser,
Porque se eu não sentir acredite, eu não minto!
As palavras proporcionam inicio, meio e fim
Mas prefiro os olhares, Meus olhos falam por mim.
Falo o que penso, e o que trago no coração.
Mas por pior que seja a noticia,
Uso sempre a boa educação!
Sou amante da beleza, confesso que me hipnotiza.
Não to falando da beleza do corpo, e sim, a que se externiza.
Vejo a beleza em teus olhos,
Aquela que trazes na alma.
A do sorriso que alegra, a do abraço que acalma.
Sou assim mesmo, não tem jeito.
Sou a explosão de sentimentos que trago aqui no peito!
Sou aquela música inacabada.                                          
Pareço extrovertida?
Não...
Sou acanhada!
Em versos simples venho dizer
Sou Aline Patricia, caro amigo.
Prazer te conhecer!

by: Aline Patricia

O que pretendo com esse blog:

 A idéia partiu da necessidade de partilhar os feitos artísticos de alguns amigos; e também para partilhar um pouquinho do que sinto, expressado em alguns textos. Os quais costumo chamar: Vômitos de sentimentos.
 Não sou escritora, tão pouco desempenho alguma atividade artistica. Mas sou amante da arte; das mais diversas formas em que ela se apresenta.
 Desprovida de pretenções, faço desse blog o nosso cantinho de partilha.
 Sejam todos bem vindos!